Skip to main content

Amor e Química

Você já escutou aquela famosa expressão “rolou uma química”? Saiba que não é só uma força de expressão, realmente o amor e química tem tudo a ver.

 

Aquele momento em que nos apaixonamos e só pensamos naquela pessoa, tornando esse assunto prioridade e nos desligando de todo o resto. Quando tudo nessa pessoa é tão bom que não conseguimos ver os defeitos dela, como se só houvessem as qualidades, e mais, SUPER DESTACADAS, como estas palavras em “Caps Lock”. Pois é, para tudo isso existe um embasamento químico/científico explicando nossas ações. O nosso corpo age de acordo com as reações químicas.

Como funcionamos quando nos apaixonamos? O que acontece conosco?

 

A seguir veremos as 3 principais Fases Químicas do Amor:

 

 

1 – Fase da Paixão, Desejo e Luxúria

 

A primeira fase é marcada pela luxúria ou a Fase do Desejo devido à abundância das sensações e do estímulo dos sentidos. A luxúria é a ânsia pela satisfação sexual que está presente no ser humano como uma forma de motivação para que as uniões ocorram e a procriação e evolução possam ocorrer.

 

Nessa fase, homens e mulheres naturalmente liberam grande quantidade dos hormônios da testosterona e estrogênio.

 

No sexo feminino o estrogênio desempenha um papel na saúde vaginal, responsável por provocar sensações como a necessidade de aproximação física com o companheiro e o desejo por sexo.

Em ambos os sexos (principalmente no sexo masculino), a testosterona estimula o apetite sexual, a disposição e a sedução.

 

Independente do gênero, quando estes hormônios estão presentes em um nível saudável, o sistema reprodutor é regulado, os níveis de energia aumentados e o desejo sexual intensificado.

 

 

O feromônio, que é uma substância química inodora produzida pelos humanos e detectado pelo nariz de outros humanos, são grandes contribuintes para a Fase do Desejo porque eles ajudam na iniciação do processo.

 

 

Nesta fase o objetivo é saciar a necessidade e o desejo sexual, antes mesmo de formar uma conexão emocional.

 

 

2 – Fase da Atração

 

Cientistas encontraram evidências que relacionam adrenalina, dopamina e serotonina à Fase da Atração.

 

Adrenalina é um hormônio que é liberado durante momentos de estresse humano e também é importante para estimular a atração e excitação dos humanos. Esse hormônio provoca o aceleramento e força dos batimentos cardíacos, resultando em liberação de energia e que você direcione sua atenção unicamente ao seu parceiro em potencial. A adrenalina também pode elevar a intensidade da ansiedade ou nervosismo e o “frio na barriga”.

 

Dopamina é um hormônio que ajuda no estímulo das sensações de motivação, vício, atenção e desejo. Uma vez liberado, esse mensageiro químico produz a sensação da alegria e felicidade. Dopamina também é liberado em resposta ao vício de açúcar e cocaína. Durante a Fase da Paixão, dopamina pode atingir níveis que levam uma pessoa a “se viciar” pela pessoa que deseja. Altos níveis de dopamina são também associados com norepinefrina que é outro mensageiro químico que aumenta a excitação e o foco em outro indivíduo.

 

Serotonina é um hormônio que atua como um neurotransmissor que desempenha um papel na manutenção do humor, apetite, sono, memória, desejo sexual e funções sexuais. Durante a Fase de Atração, os níveis de serotonina diminuem podendo resultar na insônia. Níveis baixos de serotonina também estão associados ao Transtorno Obsessivo-Compulsivo e também podem ser a razão do porque os indivíduos na Fase da Atração pensam obsessivamente no seu parceiro em potencial. Apesar destes hormônios diminuírem na Fase da Atração, o sexo pode causar o aumento dos níveis de serotonina novamente.

 

Há também a endorfina, considerado “o hormônio do bem-estar”, que é utilizado pelos neurônios na comunicação do sistema nervoso. A endorfina é produzida através de momentos felizes, muito comuns nesta fase, como as gargalhadas, os sorrisos (os Reais, aqueles sorrisos que mal conseguimos contê-los) e o ato sexual, principalmente durante o orgasmo, visando relaxar e dar prazer, despertando uma sensação de euforia e bem-estar.

 

 

Existem algumas outras formas de se obter a dopamina e outros neurotransmissores através da ingestão de alimentos afrodisíacos e da prática de esportes que podem provocar a liberação de adrenalina e endorfina, por exemplo.

 

Nesta fase um indivíduo pode experimentar um sentimento de euforia ou alegria e uma ânsia pela união com o parceiro que deseja. Desde o momento que os hormônios associados ao estresse são liberados durante a Fase de Atração, indivíduos podem sofrer alterações fisiológicas como insônia, ganho de energia, perda de apetite ou rápida frequência cardíaca e respiração acelerada.

 

Também considerada a “Fase Lua de Mel” entre dois parceiros, normalmente essa fase dura por alguns meses ou menos até a atração desaparecer ou a Fase da Conexão assumir.

 

 

3 – Fase da Ligação Emocional ou Conexão

 

Quando na Fase de Atração os níveis de adrenalina, dopamina e serotonina se acalmam, retornando aos níveis normais, uma nova fase começa. Os dois maiores hormônios envolvidos na Fase da Conexão são ocitocina e vasopressina onde os dois desempenham um papel importante no comportamento social e reprodutivo nos humanos.

 

Ocitocina, também conhecido como o “hormônio do amor”, é liberado durante a Fase da Conexão em correlação com os toques físicos e resulta no aumento da dopamina (o hormônio da felicidade). Talvez isto seja o motivo pelo qual a área do cérebro que é associado aos sentimentos de recompensa e prazer são ativados quando a ocitocina é liberada durante o contato físico com outro humano. Gestos como abraço, beijo, afago e sexo podem impulsionar os níveis de ocitocina que podem melhorar o vínculo monogâmico entre dois parceiros. Ocitocina também é liberado nas mães quando elas amamentam suas crianças o que facilita numa profunda ligação entre a mãe e seu filho.

 

Vasopressina é outro hormônio liberado depois do contato físico que inicia desejo de estar com esta pessoa em particular e desenvolve uma forte ligação emocional.

 

A Fase de Conexão traz sensações de calma, segurança e desejo de proteger um ao outro, união emocional e conforto. Essa fase não só acontece com os relacionamentos amorosos, mas também com as relações com familiares e amigos queridos.

 

 

Como podemos ver, o amor possui um ciclo natural. Porém existem as variáveis do nosso cotidiano que podem ajudar um casal, já na Fase da Conexão, a se aproximarem mais ou, infelizmente, se separarem.

 

Existem diversos fatores internos e externos numa relação. Por isso estamos aqui, para te ajudar a encontrar a sua felicidade e dar a valor a quem te dá valor! Não deixe um relacionamento cair na rotina para que fatores externos não abalam a sua relação, sem contar que uma vida mais picante torna sua vida muito mais divertida e alegre.

 

 

Crédito – Arte principal do artigo: “Chemical Love” por abgstudios

 

 

Sucesso no seu ciclo amoroso e duradouro!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *