Skip to main content

Dicas de Como Ter Pegada

Você realmente sabe o que é “ter pegada”?

 

Se você acha que numa relação sexual o importante é somente ter pênis grande, corpo musculoso e a sua parceira se apegará somente à mecânica do sexo (penetração), tendo muito prazer com isso, você está muito enganado.

 

“Há mais coisas entre o sexo e o prazer do que explica a nossa vã filosofia.” – Controle da EP

 

Tamanho não é documento. Não se deixe levar por crenças da sociedade onde o tamanho e a espessura de um pênis, por si só, vão fazer toda a diferença e o transformarão em um especialista em dar prazer.

 

Para quem acredita que o sexo é puramente mecânico, mesmo tendo um “tamanho grande” e um corpo “sarado”, pode estar correndo um grande risco de não dar prazeres reais à sua parceira. Se sua parceira teve sexos mais intensos em relações anteriores, seu sexo mecânico e sem intensidade emocional não será capaz de “substituir” (no sentido de conquistar o seu espaço) as boas lembranças do passado dela, podendo causar, em algumas situações, até a frustração da mesma. Isso porque sua parceira, a partir do momento que alcança níveis de excitação sexual num relacionamento antigo, passa a criar uma expectativa para suas próximas relações, não aceitando intensidades menores, seja por motivos subconscientes, por ela saber exatamente do que gosta ou por pura ausência química corporal (fruto da relação).

 

Se você é mecânico e é o primeiro (e único) relacionamento da sua parceira, não se gabe por ela não saber como pode ser diferente uma outra relação, muito pelo contrário, o risco pode ser ainda maior. Isso ocorre a partir do momento que ela interage com a sociedade e outros meios, como através de bate papo com amigas, histórias de filmes, seriados, livros ou artigos, estimulando a sua curiosidade e criando “comparações” e “dúvidas” entre o seu relacionamento e o dos demais, ou pior, se a vida fizer ela esbarrar com um galã charmoso que possa provoca-la sensações que você nunca conseguiu ou nem mesmo quis aprender a fazer.

 

Para a saúde de um relacionamento, o importante é ter pegada, mas não leve ao pé da letra, pois ter pegada não é agir com grande impulso ou simplesmente pegar à força. Ter pegada na verdade vai muito mais além…

 

Uma pessoa que tem pegada consegue saber exatamente até onde pode ir, como fazer e do que a sua parceira gosta. Uma pessoa que tem pegada cria o clima propício para a relação, explora e aflora toda a sexualidade de sua parceira.

 

Uma pessoa que tem pegada é uma Pessoa Geradora de Prazer

 

 

Dicas de Como Ter Pegada

 

Descubra com ela onde e como cada um gosta de dar e receber prazer. Faça disso uma divertida brincadeira de exploração e descobertas. Normalmente em uma relação se o casal investe e interage o nível excitação tende a crescer a cada novo sexo. Normalmente 95% do clima sexual acontece antes da penetração, por isso é importante usar e abusar das preliminares.

 

Converse com ela. Acredite, muita gente perde a oportunidade de se obter mais prazer em uma determinada carícia, beijo ou na relação em si simplesmente por não se comunicar com o seu parceiro. Ter uma boa leitura corporal é muito importante, mas não temos como adivinhar exatamente do que o outro gosta, por isso é importante conversar durante e também depois da relação para aprimorá-la. Lembre-se de conversar com jeitinho porque toda sugestão ou crítica deve ser utilizada para melhorar e incentivar, e não o contrário, portanto precisa haver maturidade e paciência na relação.

 

Trate sua parceira com carinho. Tratar com carinho, para os mais sacanas, não necessariamente significa ter uma relação branda ou sem sal. O carinho se dá com o respeito e com a vontade de dar prazer ao parceiro.

 

Tenha níveis equilibrados de romance e sacanagem em uma relação. Saiba os níveis de romantismo e sacanagem (no bom sentido) que a sua parceira gosta. Isso pode variar de casal para casal, por isso é importante o casal procurar se conhecer para conseguir atingir o clímax necessário para gerar prazer mútuo. Recomendamos de vez em quando mudar a dosagem dos níveis de romantismo e sacanagem a cada relação, sem ultrapassar os limites de prazer que a sua parceira aprecia, para criar variações muitas vezes influenciáveis pelo momento, pelo estado emocional do casal ou pela fantasia de coisas novas.

 

 

Pratique e boa diversão!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *